Loading...
Loading...
Loading...
Loading...

UBE

Loading...
Loading...

Rosas pra você

Loading...

online

Loading...

ELE É...O MEU DEUS DO IMPOSSÍVEL...

Loading...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Casa do Cminho.


Ricardinho não aguentou o cheiro bom do pão e falou:
- Pai, tô com fome!!!
O pai, Agenor, sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência....
- Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu tô com muita fome, pai!!!
Envergonhado, triste e humilhado em seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na padaria a sua frente...
Ao entrar, dirige-se a um homem no balcão:
- Meu senhor, estou com meu filho de apenas 6 anos na porta, com muita fome, não tenho nenhum tostão, pois sai cedo para buscar um emprego e nada encontrei, eu lhe peço que em nome de Jesus me forneça um pão para que eu possa matar a fome desse menino, em troca posso varrer o chão de seu estabelecimento, lavar os pratos e copos, ou outro serviço que o senhor precisar!!!
Amaro , o dono da padaria estranha aquele homem de semblante calmo e sofrido, pedir comida em troca de trabalho e pede para que ele chame o filho... Agenor pega o filho pela mão e apresenta-o a Amaro, que imediatamente pede que os dois sentem-se junto ao balcão, onde manda servir dois pratos de comida do famoso PF (Prato Feito) - arroz, feijão, bife e ovo...
Para Ricardinho era um sonho, comer após tantas horas na rua...
Para Agenor , uma dor a mais, já que comer aquela comida maravilhosa fazia-o lembrar-se da esposa e mais dois filhos que ficaram em casa apenas com um punhado de fubá....
Grossas lágrimas desciam dos seus olhos já na primeira garfada...
A satisfação de ver seu filho devorando aquele prato simples como se fosse um banquete, e lembrança de sua pequena família em casa, foi demais para seu coração tão cansado de mais de 2 anos de desemprego, humilhações e necessidades... Amaro se aproxima de Agenor e percebendo a sua emoção, brinca para relaxar:
- Ô Maria!!! Sua comida deve estar muito ruim... Olha o meu amigo está até chorando de tristeza desse bife, será que é sola de sapato?!?!
Imediatamente, Agenor sorri e diz que nunca comeu comida tão apetitosa, e que agradecia a Deus por ter esse prazer...
Amaro pede então que ele sossegue seu coração, que almoçasse em paz e depois conversariam sobre trabalho...
Mais confiante, Agenor enxuga as lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome já estava nas costas...
Após o almoço, Amaro convida Agenor para uma conversa nos fundos da padaria, onde havia um pequeno escritório...
Agenor conta então que há mais de 2 anos havia perdido o emprego e desde então, sem uma especialidade profissional, sem estudos, ele estava vivendo de
pequenos 'biscates aqui e acolá', mas que há 2 meses não recebia nada...

Amaro resolve então contratar Agenor para serviços gerais na padaria, e penalizado, faz para o homem uma cesta básica com alimentos para pelo menos 15 dias...
Agenor com lágrimas nos olhos agradece a confiança daquele homem e marca para o dia seguinte seu início no trabalho...
Ao chegar em casa com toda aquela 'fartura', Agenor é um novo homem sentia esperanças, sentia que sua vida iria tomar novo impulso...
Deus estava lhe abrindo mais do que uma porta, era toda uma esperança de dias melhores...
No dia seguinte, às 5 da manhã, Agenor estava na porta da padaria ansioso para iniciar seu novo trabalho...
Amaro chega logo em seguida e sorri para aquele homem que nem ele sabia porque estava ajudando... Tinham a mesma idade, 32 anos, e histórias diferentes, mas algo dentro dele
chamava-o para ajudar aquela pessoa...

E, ele não se enganou - durante um ano, Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento, sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres...
Um dia, Amaro chama Agenor para uma conversa e fala da escola que abriu vagas para a alfabetização de adultos um quarteirão acima da padaria, e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar...
Agenor nunca esqueceu seu primeiro dia de aula: a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta...
Doze anos se passam desde aquele primeiro dia de aula...
Vamos encontrar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros , advogado, abrindo seu escritório para seu cliente, e depois outro, e depois mais outro...
Ao meio dia ele desce para um café na padaria do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o 'antigo funcionário' tão elegante em seu primeiro terno...
Mais dez anos se passam, e agora o Dr. Agenor Baptista, já com uma clientela que mistura os mais necessitados que não podem pagar, e os mais abastados que o pagam muito bem, resolve criar uma Instituição que oferece aos desvalidos da sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de comida diariamente na hora do almoço...
Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele lugar que é administrado pelo seu filho , o agora nutricionista Ricardo Baptista...
Tudo mudou, tudo passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor impressionava a todos que conheciam um pouco da história de cada um...
Contam que aos 82 anos os dois faleceram no mesmo dia, quase que a mesma hora, morrendo placidamente com um sorriso de dever cumprido...
Ricardinho , o filho mandou gravar na frente da 'Casa do Caminho', que seu pai fundou com tanto carinho:
Um dia eu tive fome, e você me alimentou. Um dia eu estava sem esperanças e você me deu um caminho. Um dia acordei sozinho, e você me deu Deus, e isso não tem preço.. Que Deus habite em seu coração e alimente sua alma.. E, que te sobre o pão da misericórdia para estender a quem precisar!!!'
(História verídica)


Se acharem que vale a pena, repassem, pois nunca é tarde para começar e sempre é cedo para parar!!!
Que Deus os abençoe poderosamente, concedendo-lhes o dom da fé e da caridade. Fazer obras de caridade não nos garante a salvação, isso é nossa obrigação como cristãos!
TODA A HONRA, TODA A GLÓRIA E TODO O LOUVOR PERTENCEM A DEUS. AMÉM !

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

MATEUS 12

 Naquele tempo passou Jesus pelas searas, em um sábado; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas, e a comer.
E os fariseus, vendo isto, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer num sábado.
Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os que com ele estavam?
Como entrou na casa de Deus, e comeu os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes?
Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?
Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo.
Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes.
Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor.
E, partindo dali, chegou à sinagoga deles.
E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?
E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará?
Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados.
Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.
E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem.
Jesus, sabendo isso, retirou-se dali, e acompanharam-no grandes multidões, e ele curou a todas.
E recomendava-lhes rigorosamente que o não descobrissem,
Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz:
Eis aqui o meu servo, que escolhi, O meu amado, em quem a minha alma se compraz; Porei sobre ele o meu espírito, E anunciará aos gentios o juízo.
Não contenderá, nem clamará, Nem alguém ouvirá pelas ruas a sua voz;
Não esmagará a cana quebrada, E não apagará o morrão que fumega, Até que faça triunfar o juízo;
E no seu nome os gentios esperarão.
Trouxeram-lhe, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via.
E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi?
Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.
Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.
E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?
E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam então vossos filhos? Portanto, eles mesmos serão os vossos juízes.
Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus.
Ou, como pode alguém entrar em casa do homem valente, e furtar os seus bens, se primeiro não maniatar o valente, saqueando então a sua casa?
Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.
Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.
Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore.
Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.
O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.
Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.
Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.
Então alguns dos escribas e dos fariseus tomaram a palavra, dizendo: Mestre, quiséramos ver da tua parte algum sinal.
Mas ele lhes respondeu, e disse: Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém, não se lhe dará outro sinal senão o do profeta Jonas;
Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.
Os ninivitas ressurgirão no juízo com esta geração, e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas.
A rainha do meio-dia se levantará no dia do juízo com esta geração, e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis que está aqui quem é maior do que Salomão.
E, quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra.
Então diz: Voltarei para a minha casa, de onde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada.
Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros. Assim acontecerá também a esta geração má.
E, falando ele ainda à multidão, eis que estavam fora sua mãe e seus irmãos, pretendendo falar-lhe.
E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.
Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?
E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos;
Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

"E agora?"

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.......tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta." I Corintios 13.4;7 

Houve, séculos atrás, uma tribo cujo chefe era tido como superior aos chefes de todas as demais tribos. 
Naquela época, a superioridade era medida pela força física. 
Assim, a tribo mais poderosa era a que tinha o chefe mais forte. 
Mas o chefe de que estamos falando não tinha somente força física. 
Ele era também conhecido por sua sabedoria. 
Desejando que o povo vivesse em segurança, ele criou leis abrangendo todos os aspectos da vida tribal. 
Eram leis severas que ele, como juiz imparcial, fazia cumprir com rigor. 
Certa feita, problemas começaram acontecer na tribo. 
Alguém estava cometendo pequenos furtos. 
O chefe reuniu a tribo e com tristeza no olhar, frisou que as leis tinham saído feitas para os proteger, para os ajudar. 
Como todos tinham o de que necessitavam para viver, não havia necessidade de ocorrerem furtos. 
Assim, ele estabeleceu que o responsável teria o castigo habitual aumentado de 10 para 20 chibatadas. 
Os furtos, entretanto, continuaram. 
Ele voltou a reunir o grupo e aumentou o castigo para 30 chibatadas. 
Mas os furtos não cessaram. 

"Por favor", pediu o chefe. "estou suplicando. Para o bem de vocês, os furtos precisam parar. Eles estão causando sofrimento entre nós." 

E aumentou o castigo para 40 chibatadas. 
Naquele dia, os que estavam próximos dele, viram que uma lágrima escorreu pela sua face, quando ele dispersou o grupo. 
Finalmente, um homem veio dizer que tinha identificado o autor dos furtos. 
A notícia se espalhou e todos se reuniram para ver quem era. 
Um murmúrio de espanto percorreu a pequena multidão, quando a pessoa foi trazida por dois guardas. 
A face do chefe empalideceu de susto e sofrimento. 
Era sua mãe. 
Uma senhora idosa e frágil. 
"E agora?" Pensou o povo em voz alta. Todos começaram a se questionar se o chefe seria, ainda assim, imparcial. 
Será que ele faria cumprir a lei?
Seria o amor por sua mãe capaz de o impedir de cumprir o que ele mesmo estabelecera? 
Notava-se a luta íntima do chefe que, por fim, falou: 

"Meu amado povo. Faço isso pela nossa segurança e pela nossa paz. As 40 chibatadas devem ser aplicadas, porque o sofrimento que este delito nos causou foi grande demais." 

Acenou com a cabeça e os guardas fizeram sua mãe dar um passo à frente. 
Um deles retirou o manto dela, deixando à mostra as costas ossudas e arqueadas. 
O carrasco, armado de chicote, se aproximou e começou a desenrolar o seu instrumento de punição. 
Nesse momento, o chefe deu um passo à frente. 
Retirou o seu manto e todos puderam ver seus ombros largos, bronzeados e firmes. 
Com muito carinho, ele passou os braços ao redor de sua querida mãe, protegendo-a, por inteiro, com o próprio corpo. 
Ele encostou o seu rosto ao da mãe e misturou as suas com as lágrimas dela. 
Murmurou-lhe algo ao ouvido e então, fez um sinal afirmativo para o encarregado. 
O homem se aproximou e desferiu, nos ombros fortes e vigorosos do chefe da tribo uma chibatada, após outra, até completar exatamente 40. 
Foi um momento inesquecível para toda a tribo que aprendeu, naquele dia, como se podem harmonizar com perfeição, o amor e a justiça. 
O amor é vida, e a compaixão manifesta-lhe a grandeza e o significado. 
O amor tudo pode e tudo vence, encontrando soluções para as situações mais difíceis e controvertidas. 
Enfim, o amor existe com a finalidade exclusiva de tornar feliz quem o cultiva, enriquecendo àqueles aos quais se dirige. 

John Macarthur

Que possamos também deixar o amor falar em nossos corações

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

E você, já fez feliz uma criança neste natal?

"...Digo-lhes a verdade: O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo". Mateus 25:45
Acordei nesse  dia de Dezembro com vontade de comprar um presente para Jesus, afinal, não existe maior amigo que o Mestre dos Mestres, 
Sai cedo de casa e fui ao maior shopping-center da cidade, pensei primeiramente numa camisa branca, mas quando vi que o branco mais branco da Terra ainda era cinza perto da sua pureza, fiquei com vergonha e desisti. 
Em outra vitrine vi um sapato de couro, lindo e caríssimo, mas quando lembrei dos seus pés calçados pelas sandálias da missão cumprida, achei que não existiria na Terra algo tão confortável que merecesse seus pés. 
Uma caneta, foi isso que a próxima vitrine me apresentou, uma linda caneta de marca famosa, seria um lindo presente, mas lembrei-me que Ele nunca escreveu nada, tudo que Ele falou, mostrou na prática, servindo e amando sempre. 
Lembrei-me, que um dia Ele falou que não tinha sequer um travesseiro para recostar sua cabeça, e pensei no melhor travesseiro de plumas de uma loja especializada em sono, era importado e muito confortável, mas lembrei-me que os justos dormiam tranqüilos e que Ele jamais usaria o travesseiro. 
E, assim fui olhando as vitrines, abotoaduras de ouro, malas de viagem, bebidas finas, comidas importadas, tudo supérfluo, tudo matéria que o tempo iria corroer. 
Confesso que sai um pouco chateado do Shopping, afinal eu saíra para comprar um presente para Você Jesus, e não havia achado nada. 
Na porta do Shopping um menino muito miudinho sorriu para mim, perguntou meu nome e eu o dele, ele riu e me estendeu a mão, tinha o rosto muito sujo, as mãos encardidas, perguntei pela sua mãe, ele deu de ombros, sobre o pai, nem sabia onde estava... perguntei se ele queria tomar um lanche, ele sorriu um sim, pegou na minha mão. 
Na porta do Shopping olhou para suas roupas e olhou para mim, sabia que não estava corretamente vestido, peguei-o no meu colo, era a senha para ser feliz, seus olhinhos miúdos percorriam aquelas luzes, enfeites e pessoas bonitas como se fosse um filme de Walt Disney... 
Na lanchonete sentou na cadeirinha giratória e sorriu como "reizinho", e entre uma montanha de batatas fritas, ríamos felizes como dois velhos amigos. 
Falamos sobre bolinha de gude, pipas e bola de futebol, coisas importantes para o ser humano, principalmente quando somos crianças. 
Devoramos dois lanches, e quando perguntei se ele queria um sorvete gigante como sobremesa, seus olhos brilharam feito o sol, pedi um instante, fui até o caixa, quando voltei com os sorvetes na mão ele já não estava ali... 
Por instantes pensei que ele tinha ido ao banheiro, ou estaria olhando a lanchonete, mas não estava ali mesmo. 
Foi quando sobre a caixa de batatas vazias vi um papelzinho, um bilhetinho escrito com letra miúda que dizia assim: 
"Obrigado pelo melhor presente de que poderia me dar: Fizeste feliz um dos pequeninos do mundo! Assinado, Jesus. 
E você, já fez feliz uma criança neste natal? 
Colaboração de Um Amigo de Deus

Isais 55:6




RESTAURAÇÃO

Não
Não é tão fácil olhar e ver
Tudo aquilo que era honra em ruinas se tornou
Meu muro se desfez quero a restauração
Da me a ousadia que deste a neemias de recostruir
O que em ruinas esta
Quero restaurar
Meus muros

Restaura a minha casa
Restaura a minha família
Restaura a comunhão que se perdeu
Restaura os sentimentos
Restaura a minha historia
Restaura minha vida
Faz em mim o teu querer
(Nani Azevedo.)

vale mudar...

Escreve meu nome no livro da vida.

"Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro" Apocalipse 19:9

Como você sabe, está chegando novamente a data de meu aniversário. 
Todos os anos fazem festa em minha honra e creio que este ano acontecerá a mesma coisa. 
Nesses dias as pessoas fazem muitas compras. 
O rádio e a TV fazem centenas de anúncios. 
Por todo canto não se fala de outra coisa a não ser dos preparativos para o grande dia. 
É bom saber que ao menos um dia por ano algumas pessoas pensam um pouco em mim. 
Como você sabe, há muitos anos começaram a festejar meu aniversário. 
No começo, pareciam compreender e agradecer o que fiz por eles, mas HOJE em dia, ninguém sabe por que razão o celebra. 
As pessoas se reúnem e se divertem muito, mas não sabem do que se trata... 
Estou me lembrando do ano passado: ao chegar o dia do meu aniversário, fizeram uma grande festa em minha honra. 
Havia coisas deliciosas na mesa, tudo estava decorado e havia muitos presentes... Mas sabe de uma coisa? 
Não me convidaram! 
Eu era o convidado de honra e ninguém se lembrou de me convidar! 
A festa era para mim e quando chegou o grande dia, fecharam à porta na minha cara. Bem que eu queria partilhar a mesa com eles... 
A verdade não me surpreendeu porque, nos últimos anos, muitos me fecham à porta. 
Como não me convidaram, ocorreu-me entrar sem fazer ruído. 
Entrei e fiquei num cantinho. 
Estavam todos brindando, alguns já estavam embriagados, contando piadas, rindo, divertindo-se. 
Aí chegou um velho gordo, vestido de vermelho, com barba branca e gritando: "HO! HO! HO!". 
Parecia ter bebido demais... Deixou-se cair pesadamente numa cadeira e todos correram para ele dizendo: 
"Papai Noel! Papai Noel!" como se a festa fosse para ele! 
Quando chegou meia-noite, todos começaram a abraçar-se. 
Eu estendi meus braços esperando que alguém me abraçasse... 
Quer saber? 
Ninguém me abraçou. 
De repente, todos começaram a entregar presentes. 
Um a um, os pacotes foram sendo abertos. 
 Cheguei perto para ver se, por acaso, havia algum para mim. 
Nada! 
O que você sentiria se no dia de seu aniversário todos se presenteassem e não dessem nenhum presente para você? 
Compreendi, então, que estava sobrando na festa... 
Saí sem fazer barulho, fechei a porta, fui embora... 
Cada ano que passa é pior: as pessoas só se lembram da ceia, dos presentes, das festas... De mim ninguém se lembra. 
Gostaria que, nesta data, você me permitisse entrar na sua vida, reconhecendo que há mais de dois mil anos vim ao mundo para lhe dar minha vida na cruz e, assim, poder salvar você... 
Hoje só quero que acredites nisso com todo seu coração... Vou dizer-lhe uma coisa.: 
Já que muitos não me convidam para a festa que fazem, vou fazer minha própria festa uma festa grandiosa como ninguém jamais fez uma festa espetacular. 
Estou nos últimos preparativos e expedindo os convites. 
Este é especial para você. 
Só quero que você me diga se quer vir: reservarei um lugar para você e incluirei seu nome na lista dos que confirmaram... Os que não aceitarem,ficarão de fora. 
Prepare-se porque quando tudo estiver pronto, quando menos se esperar, darei minha grande festa. 
Não se esqueça de enviar este convite também aos seus amigos... Somente para os amigos especiais 
Assim como você é especial para mim, com certeza, há vários amigos que são especiais pra você. 
Desta maneira, vamos fazer uma festa com os "especiais", afinal, "Muitos serão os convidados, mas poucos serão os escolhidos" Mateus 2:16. 
Sabe por quê? Porque poucos aceitarão o CONVITE! 
Querido Jesus
Creio que Tu é o Filho de Deus e que deste tua vida para redimir os pecados da humanidade. 
Creio que ressuscitaste e que estás vivo no céu, preparando um lugar para aqueles que confiam em ti. Romanos 10.9 
Não tenho levado uma vida que honre o teu nome. Perdoa meus pecados e entra em minha vida como meu Salvador e Senhor.
Escreve meu nome no livro da vida. Apocalipse 20.15
Ajuda-me a crescer em sabedoria e obediência  a ti. 
Obrigada por me perdoares. Obrigado por entrares em minha vida. Obrigado por me concederes a vida eterna. 
Amém

Amar é.....

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Quem disse que Deus não trabalha de maneira misteriosa?

"Os olhos do SENHOR estão sobre os justo se os seus ouvidos atentos ao seu clamor." Salmos 34:15
 
Um novo pastor recentemente formado e sua esposa que foram encarregados de reabrir uma igreja no bairro de BrooklynNYchegaram ao início de Outubro entusiasmados com a oportunidade.

Quando viram a igreja observaram que havia muitos estragos e um grande trabalho a ser feito.

Sem se deixar  abater estabeleceu como meta deixar tudo pronto para o primeiro serviço: o culto de Natal.

Trabalharam sem descanso concertando o telhado... Refazendo o piso... Pintando... E muito antes do Natal em 18 de Dezembro tudo estava pronto!

Mas...  No dia seguinte 19 de Dezembro desabou uma terrível tempestade que se alongou por dois dias.

No dia 21o pastor foi até a igreja.  Seu coração doeu... Viu que o telhado tinha quebrado e que uma grande área do revestimento de gesso decorado da parede do santuário logo atrás do púlpito havia caído.

O pastor enquanto limpava o chão pensava em como resolver a situação.

No caminho de casa pensando adiar o culto de Natal observava as vitrinas enfeitadas para a época quando notou um bazar beneficente e parou por instantes.
 
Uma linda toalha de mesa de crochet na cor marfim com um crucifixo delicadamente bordado no centro chamou-lhe a atenção.

Era do tamanho exato para cobrir o estrago atrás do púlpito.

Comprou-a e voltou para a igreja.
 
Começou a nevar.
 
Apressou seus passos e quando chegava à porta da igreja uma velha senhora vinha correndo em direção contrária tentando pegar o ônibus o que não conseguiu.

O pastor convidou-a a entrar para esperar pelo próximo abrigando-se do frio que viria 45 minutos depois. 
Ela sentou-se num banco e nem prestava atenção no pastor que já providenciava a instalação da toalha de mesa na parede. 
Ao terminar afastou-se e pôde admirar o quanto à toalha era linda e servia perfeitamente para esconder o estrago.

Então o pastor notou a velha encaminhando-se para ele.  Seu rosto estava lívido e perguntou:

Pastor onde o senhor encontrou esta toalha de mesa?
 
O pastor contou a história.  A mulher pediu-lhe que examinasse o canto direito inferior para encontrar as iniciais EBG bordadas.
 
O pastor fez o que a mulher pediu e intrigado confirmou.
A mulher disse:
 
Estas são as minhas iniciais.
 
E contou que fez esta toalha de mesa há 35 anos atrás na Áustria.  Contou que antes da guerra ela e seu marido eram "bem-de-vida".  Quando os nazistas invadiram seu país combinaram fugir ela iria antes e seu marido a seguiria uma semana depois.

Ela foi capturada trancada numa prisão e nunca mais viu seu marido e sua casa.

O pastor ofereceu a toalha mas ela recusou dizendo que estava num lugar muito apropriado. 
 
Insistindo ofereceu-se para levá-la até sua casa era o mínimo que poderia fazer. 
Ela morava em Staten Island e tinha passado o dia em Brooklin para um serviço de faxina.

No dia de Natal a igreja estava quase cheia.
 
Foi um lindo trabalho.
 
Ao final o pastor e sua esposa cumprimentaram os fiéis um a um à porta e muitos diziam que retornariam.

Um velho homem que o pastor reconheceu pela vizinhança permaneceu sentado atônito.

O pastor aproximou-se e antes que dissesse palavra o velho perguntou:

Onde o senhor conseguiu a toalha de mesa da parede?  Ela é idêntica à uma que minha mulher fez muitos anos atrás quando vivíamos na Áustria antes da guerra.  Como poderiam existir duas toalhas tão parecidas?


Venha... eu vou levá-lo a um lugar que o senhor vai gostar muito.
 
No caminho o velho contou a mesma história da mulher. Ele antes de poder fugir também havia sido preso e nunca mais pôde ver sua mulher e sua casa por 35 anos.
Ao chegar à mesma casa onde deixara a mulher 3 dias antes ajudou o velho a subir os 3 lances de escadas e bateu na porta.
Creio que não há necessidade de se contar o resto da história.
Quem disse que Deus não trabalha de maneira misteriosa?
 
NADA  ACONTECE  POR  ACASO!
 
Uma história verdadeira contada pelo Pastor Rob Reid.
 
Colaboração de Um Amigo de Deus Edivaldo Francisco Da Costa
Imediatamente o pastor entendeu o que tinha acontecido e disse:

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

"Bem-aventurados os que não viram e creram."

"Por isso vos digo que tudo o que pedirdes em oração, crede que o recebereis, e tê-lo-eis." Marcos 11.24

Quando meu filho tinha uns dez anos, a avó prometeu-lhe um álbum de selos para o Natal. 
Chegou o Natal, mas nada do álbum, e nenhuma linha da vovó. 
Contudo o assunto não foi comentado; mas quando os amiguinhos vieram ver seus presentes, fiquei surpresa - depois de ter enumerado os vários presentes recebidos, ele acrescentou: 

E um álbum de selos, da vovó. 

Depois de ouvir isto por diversas vezes, chamei-o e disse-lhe: 

Mas Jorginho, você não recebeu o álbum. Por que está falando assim? 

Houve um olhar de surpresa em seu rosto, como se estivesse achando estranho que eu lhe fizesse aquela pergunta. E respondeu: 

Bem, mamãe, mas se a vovó disse que manda, é a mesma coisa. 

Eu não tive o que dizer.
Passou-se um mês, e nada se ouviu do álbum. 
Um dia, finalmente, pensando em meu coração por que o álbum não teria vindo eu lhe disse, para provar sua fé: 

Jorginho, eu acho que a vovó se esqueceu da promessa. 

Não, mamãe, disse ele com firmeza, não esqueceu, não. 

Olhei para a carinha confiante, que por um momento ficou séria e grave, como se ele estivesse considerando no íntimo a possibilidade do que eu havia sugerido. 
A seguir seu rosto iluminou-se e ele me disse: 

Mamãe, será que não seria bom eu escrever para a vovó, agradecendo o álbum? 

Não sei, respondi, pode escrever. 

Uma rica verdade espiritual começou a raiar no meu horizonte. 
Em poucos minutos uma cartinha estava pronta e encaminhada ao correio. 
E lá foi ele assobiando, confiante na vovó. 
Poucos dias depois chegou uma carta, dizendo: 

"Querido Jorginho, não me esqueci da promessa. Procurei um álbum como você queria, mas não o encontrei. Então encomendei um de Nova Iorque, mas só chegou depois do Natal, e ainda não era como você queria. Já pedi outro, mas como ainda não chegou, mando-lhe agora o dinheiro para comprar um aí. Com amor, Vovó." 

Enquanto lia a carta, estampava no rosto um ar de vitória. 

Está vendo, mamãe, eu não lhe disse? 

E essa frase saía do fundo de um coração que não duvidara, e que em esperança crera "contra a esperança", que o álbum viria. 
Enquanto ele confiava, a vovó trabalhava, e no tempo próprio, a fé tornou-se vista. 
É tão próprio de nós, seres humanos, querermos ver imediatamente a resposta de Deus, quando agimos baseados nas suas promessas. 
Mas o Salvador disse a Tomé e a todos os que, como ele, também duvidam: 

"Bem-aventurados os que não viram e creram." João 20.29 

Autor: Lettie Cowman

"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem." Hebreus 11.1

"Senhor, ajuda-me a ter uma fé inabalável, aguardando sempre confiante o cumprimento da Tua promessa." Amém.

Mensagem Postada no Grupo em 13/12/2007